• 11 de julho de 2020

Coronavírus e os pets

Um surto de pneumonia em pessoas na China vem despertando preocupação mundial com um novo coronavírus, denominado SARS-Cov-2 (severe acuterespiratory syndrome coronavírus 2), como um risco global à saúde pública. Mas, e quanto aos pets e outros animais?    

Os coronavírus pertencem à família Coronaviridae e há vários já conhecidos. Os alfa e beta coronavírus geralmente infectam mamíferos, enquanto os gama e delta coronavírus infectam pássaros e peixes. O coronavírus canino, que pode causar diarreia leve, e o coronavírus felino, que pode causar peritonite infecciosa felina (PIF), são ambos alfa-coronavírus. Esses coronavírus não estão associados ao atual surto de coronavírus.

De acordo com a veterinária da Clínica Pompeu, Camila Maximiano, o SARSCov-2 é geneticamente mais relacionado ao SARS-CoV do que ao MERS-CoV, mas ambos são betacoronavírus com origem em morcegos e até o aparecimento do SARS-Cov-2, que pertence aos beta-coronavírus, havia apenas seis coronavírus conhecidos, capazes de infectar humanos e causar doenças respiratórias.

Os coronavírus que conhecemos na veterinária são espécie-especificos, ou seja, afetam apenas aquela espécie que está relacionada. “Ainda não existem evidências de que pets possam adoecer por uma infecção com este novo coronavírus. Além disso, atualmente não há evidências de que animais de estimação possam ser uma fonte de infecção para as pessoas”, diz Camila.

De qualquer forma o CDC recomenda o seguinte: “Você deve restringir o contato com animais de estimação e outros animais enquanto estiver doente com a COVID-19, assim como faria com outras pessoas. Se você está doente com a COVID-19, ou tem suspeita de estar infectado, evite o contato com seu animal de estimação, incluindo acariciar, aconchegar-se, ser beijado ou lambido e compartilhar alimentos. Se você precisar cuidar do seu animal de estimação ou ficar perto de animais enquanto estiver doente, lave as mãos antes e depois de interagir com os animais e use uma máscara facial.

Além disso, é importante seguir as recomendações de prevenção indicadas pelo Ministério da Saúde em relação a transmissão entre humanos. Se o seu animal de estimação desenvolver uma doença sem causa definida e foi exposto a uma pessoa com a COVID-19, converse com um agente de saúde pública que esteja acompanhando o tratamento do doente com a COVID-19.

“Apesar de ser um novo vírus, não há necessidade de preocupação com os nossos pets até o momento, mas acompanhem informações de instituições confiáveis quanto ao assunto ou procuro o seu médico veterinário de confiança”, conclui Camila.

 

Serviço:

Pompeu Clínica Veterinária (61) 3711-9006

SHIN – CA 10 – Loja 12 – Lago Norte – Brasília-DF

pompeuveterinaria@gmail.com

 

DÉLIO ANDRADE

Leia Anterior

Higiene bucal ajuda a prevenir a transmissão do coronavírus

Ler Próximo

Colher o que plantou

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *